ENTRE O PRAZER E O SIGNIFICADO

segunda-feira, abril 13

-
-
-
-
-
-
-
-
-
só queria descansar nos teus braços
-
-
-
-
-
-
-
-
-

7 comentários:

Vanessa disse...

:) parece-me bem. *

Psinocas disse...

Será que o preço a pagar por cultivar o vício da lucidez, é a solidão?

Psinocas disse...

Quem o amor imagina, sem o conhecer,
não sabe o que perde quando imagina;
menos do que nada vale o saber
perante o que o coração nos destina.

Um rosto que se abre num sorriso
e limpa do céu todo o cinzento;
uns lábios que trazem loucura e siso
e na alma abrandam o mais alto vento.

Pode falar-se do que é o amor,
rodeá-lo de análises e teorias;
é como um cego a descrever a cor,

ou um surdo sonhando melodias.
Só quem ama conhece a verdade
em que a ilusão se faz eternidade.

Nuno Júdice

Hannah disse...

Há frases que bastam e enchem os olhos de quem as lê e inquietam a alma. Muito bem! :) Beijinhos

Anónimo disse...

as palavras redefinem-se de pena para pena. são tuas as que me enviaste.
Obrigada
g

Psinocas disse...

Não podia estar mais de acordo!

«Quando Pedro fala de Paulo, ficamos a saber mais de Pedro do que de Paulo». S. Freud

Sol disse...

:)

‘Ever tried. Ever failed. No matter. Try Again. Fail again. Fail better.’

‘Ever tried. Ever failed. No matter. Try Again. Fail again. Fail better.’