ENTRE O PRAZER E O SIGNIFICADO

segunda-feira, maio 19

O Viajante Imóvel 36


----
----

‘É esse o interesse de pessoas que não têm um método do trabalho, como é o caso dos que não são actores. Não têm uma receita, acreditam – ou não acreditam. Um método de trabalho pode dar a ilusão de que temos sempre solução para um problema. Isso dá um lado artificioso às coisas: mesmo se o trabalho é bem feito, não deixa de ser trabalho. Gosto, por isso, de ir com os actores até lugares que não têm a ver com o trabalho.'

‘Um dos temas do filme é a homenagem à geração do meu pai. Sinto que ele se condenou a uma vida de dor: fazer o mesmo trabalho durante 40 anos, nas obras, no pó. Houve ali algo de sacrificial. Fê-lo pelos filhos, era o que dava sentido à sua vida. Transmitiu-me essa vontade de dar um sentido às coisas.’
Abdellatif Kechiche

1 comentário:

artur disse...

Essa vontade louca de dar um sentido às coisas talvez seja o melhor e ao mesmo tempo o pior que existe em mim.
O melhor porque nunca estou completamente perdido e o pior porque nunca estou completamente perdido.

um abraço grande.

‘Ever tried. Ever failed. No matter. Try Again. Fail again. Fail better.’

‘Ever tried. Ever failed. No matter. Try Again. Fail again. Fail better.’