ENTRE O PRAZER E O SIGNIFICADO

quarta-feira, agosto 6

Homo Faber 26

Ahmad Masood
-
-
-
‘Em muitas ocasiões afirmei que a nossa procura da felicidade é frequentemente dilacerante, porque somos movidos por dois desejos contraditórios: o bem-estar e a superação.
-
Precisamos de estar confortáveis e precisamos de criar alguma coisa de que nos sintamos orgulhosos, e pelo qual nos sintamos reconhecidos. Uma actividade que dê um sentido à nossa existência, por muito ilusório que esse sentido seja. Temos, pois, que harmonizar desejos contraditórios. Precisamos de construir a casa e descansar nela. Precisamos estar refugiados no porto e a navegar. Agora posso completar a descrição. Aspiramos a fugir da angústia e a enfrentá-la.
-
A procura obsessiva do bem-estar fomenta o medo, converte-nos a todos em submissos animais domésticos, e a submissão é a solução confortável – e por isso amnésica – do receio.
-
A valentia, pelo contrário, liberta-nos, mas – incómoda contrapartida – faz-nos perder parte do bem-estar. Faz despertar no gato modorrento o felino livre que vive, sem dúvida, menos cómodo, sem aquecimento, sem cestinho, sem comida pronta, e sem afagos. Lança-nos ao descampado, que é o território da liberdade e da criação’.


José António Marina, O Medo

5 comentários:

Ivo Gabriel disse...

E quando o porto que começamos a construir num dia não é mais o mesmo que auguramos no dia seguinte? Porque queremos portos diferentes em dias diferentes?
Porque não traçamos um destino e nos quedamos nele?
Se a felicidade está nas coisas simples porquê a ânsia do constante sobressalto?
Queria uma história simples e um sorriso no rosto.

Saudades amigo. Espero que estejas bem
Abraço

:: folha de rosto :: disse...

continuo a mergulhar aqui o coração.
assiduamente.
assiduamente hidratar
o lado esquerdo da alma.

Luciano Pfeifer disse...

E assim vamos caminhando sobre o fio da navalha.
Sempre muito bom passar por aqui e dar uma conferida nas tuas postagens.

Abraço Clownesco.

Anónimo disse...

mischka, esta´s ta~o longe... volta ra´pido! eu sei que esta´s comigo, mas tambe´m de pa~o vive o Homem e eu tenho fome de ti!

e s p e r a n d o . . .

Palhaço Voador disse...

Amigo Ivo: é este paradoxo que vamos carregando. Pelo caminho ficam os abraços fortes e a amizade que resiste aos tempos.

Folha de rosto: assiduamente estarei aqui.

Luciano: Obrigado. Grande abraço clownesco para si também!!!

Querida Pinguim: Já cá estou. É a tua vez de voltar. esperando....

‘Ever tried. Ever failed. No matter. Try Again. Fail again. Fail better.’

‘Ever tried. Ever failed. No matter. Try Again. Fail again. Fail better.’