ENTRE O PRAZER E O SIGNIFICADO

segunda-feira, janeiro 22

A Poética de um Clown 1

As suas Verdades:

:: O clown é sempre autêntico.
:: O clown é sincero e espontáneo.
:: O olhar de um clown é um espelho através do qual vemos o seu interior e o nosso reflexo nele.
:: O clown é transparente. As suas intenções estão à vista, mesmo quando tenta enganar.
:: O clown é complexo, é composto de muitos rasgos de personalidade que lhe conferem uma grande riqueza expressiva.

As suas Emoções:

:: De todas as emoções que habitam o clown, uma é imprescindível: a ternura.
:: No seu registo emocional, ele pode passar de um estado ao outro com a mesma rapidez e intensidade com que o sinta dentro de si.
:: O clown não tem consciência que exagera. Se o faz, é devido à sua paixão, que o faz acreditar na verdade do seu exagero.
:: O clown tem uma boa auto-estima. Acredita na sua inteligência, mesmo quando esta o trai, o que ocorre com bastante frequência.

adaptado de El Clown, un navegante de las emociones, Jesús Jara

6 comentários:

ana disse...

falta aí uma verdade:
O clown voa e faz-nos voar.

Palhaço Voador disse...

obrigado:)

Agripina Roxo disse...

o clown tem um sorriso bonito, que ilumina todas as almas com uma estranha sensação de magia :)
***jinho

Palhaço Voador disse...

beijinho. saudade :)

(in)tacto disse...

tive esse livro na palma da mão
... com barcelona como palco
onde as cortinas se abrem lentamente
como essas páginas que (re)nascem

duas viagens que se guardam
entre os dedos.

:O)

Palhaço Voador disse...

um clown percebe sempre o outro :O)

‘Ever tried. Ever failed. No matter. Try Again. Fail again. Fail better.’

‘Ever tried. Ever failed. No matter. Try Again. Fail again. Fail better.’